SOUNDS OF NFL #39 – TAKE A KNEE, NFL

SOUNDS OF NFL #39 – TAKE A KNEE, NFL

Olá, Luluzinhas!

Já vou abrir com um enorme DISCLAIMER: esse texto terá várias frases opinativas. O Sounds of NFL desta semana vem com um assunto que ainda vem sendo alvo de polêmica!

Na semana 3 da NFL, não se falou em outra coisa, a não ser os protestos contra o racismo, o excesso de violência dos policiais perante a população negra e o discurso de ódio do presidente Donald Trump,  que fizeram diversos atletas de todas as franquias ajoelharem durante a execução do hino nacional norte-americano.

“Se os fãs da NFL não fossem aos jogos até os jogadores pararem de desrespeitar a nossa bandeira e ao nosso país, você veria a mudança rapidamente. Demita ou suspenda”

Donald Trump em sua conta no Twitter

Tivemos até mesmo times inteiros que não apareceram na hora do hino. Como fizeram Steelers (exceto o Alejandro Villanueva), Titans e Seahawks.

COLIN KAEPERNICK, O PIONEIRO DOS PROTESTOS

O primeiro a fazer tais atos foi o ex-QB do San Francisco 49ers, meu eterno mozão Colin Kaepernick, e desde que ele iniciou seus protestos, acabou chamando e muito a atenção para a causa das minorias negras e a violência excessiva sofrida por elas no país. Esta influência acabou sendo silenciosa, mas efetiva, e você pode relembrar mais sobre o caso nesse texto da Dani Kowalsky.

Infelizmente, nos EUA, ainda há uma forte segregação de negros e brancos, e estes não se sentem representados de  muitas formas pelo seu país. Por isso, a importância de outras pessoas com mais destaque fazerem algum tipo de protesto para chamar a atenção para a causa. Para entender melhor sobre o caso, o Lulucast #53 aborda de forma claríssima o assunto.

Tudo ficou distorcido após as declarações do presidente, e muita gente acha que esses protestos são contra ele, e não contra o racismo, o que é muito triste.

Mais triste mesmo, é ver que o presidente de uma das maiores nações do planeta, aja como uma criança birrenta que não aceita opiniões contrárias, quando ele na verdade deveria defender a liberdade de expressão das pessoas.

O próprio hino dos EUA prega que ali é a “Land of the free”, mas cadê a “freedom of speech”? Ela só vale quando se trata de atos neonazistas, querido topetudo? #faleimesmo

Enfim, já diria a Primeira Emenda da constituição americana: “O Congresso não legislará no sentido de estabelecer uma religião, ou proibindo o livre exercício dos cultos; ou cerceando a liberdade de palavra, ou de imprensa, ou o direito do povo de se reunir pacificamente, e de dirigir ao Governo petições para a reparação de seus agravos”.

E isso é mais do que necessário nesse momento, em terras norte-americanas.

É HORA DE SOLTAR O SOM!

Bom, vamos ao que interessa que é a música nisso tudo. Neste Sounds of NFL, todas as canções são carregadas de mensagens poderosas contra o racismo e a segregação dos povos.

Public Enemy – Fight The Power

Kendrick Lamar – The Blacker the Berry

Depeche Mode – People Are People

Tupac – Changes

John Legend & Common – Glory

Pharrell Williams – Runnin’

Confira nossa playlist carregada de mensagens contra o racismo e a segregação dos povos aqui no Luluzinha Club. Aqui a gente quer igualdade para todos!

E siga também o perfil do Luluzinha Club no Spotify, quem sabe não tem alguma outra playlist que te agrade mais?

Um abraço e até a próxima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *