PRÉVIA MONDAY NIGHT FOOTBALL – SAINTS X VIKINGS / CHARGERS X BRONCOS

PRÉVIA MONDAY NIGHT FOOTBALL – SAINTS X VIKINGS / CHARGERS X BRONCOS

A semana 1 da temporada regular vai chegando ao fim, mas não sem uma overdose de futebol americano para fechá-la com chave de ouro. Teremos um jogo de Monday Night Football e, em seguida, mais um Monday Night Football, um deles com narração feminina!!

Primeiro veremos o New Orleans Saints visitando o Minnesota Vikings e, depois, Los Angeles Chargers jogando contra o Denver Broncos.

New Orleans Saints x Minnesota Vikings

New Orleans Saints no Comando de Drew Brees

O Saints vem em processo de recuperação após ficar fora dos playoffs na última temporada.

O time ainda tem Drew Brees comandando o ataque que passou pela quinta vez das 5 mil jardas, o único a conseguir o feito na temporada passada.

Brees, que manteve uma média de 70% de passes completados, estará sem sem seu maior recebedor do ano passado, Brandin Cooks, transferido para o New England Patriots. Agora Michael Thomas será o alvo, no seu segundo ano, deve repetir o bom desempenho de 2016 (92 recepções para 1.137 jardas e 9 touchdowns).

Uma perda que deverá ser sentida é de Willie Snead, suspenso por três jogos por uso de substâncias proibidas. Mesmo anotando apenas três touchdowns, ele chegou próximo às 1.000 jardas no ano passado.

O destaque do Saints está no backfield, Adrian Peterson estreia no time justamente contra sua ex-equipe. Junto com Mark Ingram e o calouro Alvin Kamara, ele terá a difícil tarefa de quebrar a barreira da defesa terrestre do Vikings,  uma das melhores do ano passado. Ele também terá que provar sua recuperação da lesão no menisco, ocorrida no segundo jogo da temporada passada.

 

Drew Brees mostrando para onde o time quer ir, para a frente.

Preocupações com a Defesa

A defesa ficou na parte de baixo da tabela no último ano, por isso, vendo a necessidade de melhora, o draft foi principalmente para reforçar o setor. O CB Marshon Lattimore já deve ser titular para a primeira partida. O time também trouxe alguns reforços na free agency, como o LB AJ Klein que, junto ao veterano Cameron Jordan, deve guiar os jovens draftados.

O time já mostrou uma melhora durante a pré-temporada, agora é a hora de continuar subindo.

Minnesota Vikings sem Bridgewater

O Vikings inicia sua temporada jogando em casa e quer começar como no ano passado, vencendo. O time chegou a ficar invicto por semanas, porém tropeços ao longo da temporada impediram a equipe de chegar aos playoffs.

Ainda sem Teddy Bridgewater (ainda sem previsão de retorno, mesmo tendo treinado com bola durante training camps), o time volta a confiar em Sam Bradford para liderar o ataque.

O QB terminou abaixo das 4 mil jardas lançadas já que ele não arrisca muitos passes longos, mas conseguiu um bom número de 71,6% passes completados, semelhante ao de Drew Brees. Ele terá os mesmos alvos de confiança do ano passado, os WRs Stefon Diggs e Adam Thielen e o TE Kyle Rudolph. Foi a primeira vez, desde 1980, que um trio de recebedores passou das 800 jardas de recepção cada um.

Adrian Peterson trocou de uniforme, não queria mais usar roxo.

Para suprir a saída de Adrian Peterson, o time trouxe Dalvin Cook, uma das sensações do College na última temporada. Ele contará com o veterano Jerick McKinnon e o também recém-chegado, mas já veterano, Latavius Murray, que estava no Oakland Raiders.

A Forte Defesa do Vikings

A defesa deve continuar sendo o pilar do time. Ela foi a terceira melhor geral de toda a Liga e a segunda em sacks, com 34 anotados. Quase um terço desses sacks foi obra de três jogadores: os defensive ends Danielle Hunter, Everson Griffin e Brian Robison. O defensive tackle Linval Joseph também não deve ser desprezado, sendo o jogador mais jovem a anotar 100 tackles e 4 sacks  em uma temporada, desde 1991.

Além de Joseph, a unidade conta com outros 4 jogadores convocados para o Pro Bowl,  o DE Everson Griffen, o LB Anthony Barr e os membros da secundária, o CB Xavier Rhodes e o S Harrison Smith. Rhodes foi o recordista do time com 5 interceptações.

Em um jogo em que o Vikings homenageará Randy Moss com seu nome no “Ring of Honor” do Estádio, ver o adversário com maior vantagem em relação ao ataque deve motivar o time a se sobrepor e tentar a vitória em casa.

Los Angeles Chargers x Denver Broncos

O segundo Monday Night Football e último jogo da semana de abertura é mais um duelo de divisão. O Los Angeles Chargers vai até o Mile High encarar o Denver Broncos.

Novo Ano, Nova Casa, Novo Técnico e os Mesmos Desafios para Los Angeles Chargers

É um novo ano para o Chargers, casa nova, técnico novo, mas uma tarefa antiga: voltar aos playoffs, o que não acontece desde 2013. E talvez não seja este ano que isso aconteça, muito por conta da defesa. Foi uma média de 26,4 pontos cedidos por jogo.

No lado do ataque, Philip Rivers continua liderando o time e deverá ter ajuda, pois além do RB Melvin Gordon, o time reforçou a linha ofensiva. No draft, Rivers ganhou um novo WR, Mike Williams, contudo uma lesão nas costas o deixará afastado por umas semanas desse começo de temporada. Outra incógnita é o retorno do WR Keenan Allen, que sofreu com lesões no ano passado. O TE Hunter Henry deve ser um escape para Rivers na falta dos receivers.

Philip Rivers pensando nos nomes dos filhos antes de lançar a bola

Mesmo não tendo ido bem, a defesa tem o seu destaque, Joey Bosa. O DE, que foi eleito calouro defensivo do ano passado, anotou 10,5 sacks, mesmo tendo perdido os 4 primeiros jogos por uma lesão na musculatura posterior da coxa.

Junto com o LB Melvin Ingram, o pass rush do time é muito forte. A chegada do novo coordenador defensivo, Gus Bradley, pode trazer uma renovação tática para o time, que vai mudar do esquema 3-4 para o 4-3.

Na secundária, o CB Casey Hayward volta depois de ser selecionado para o Pro Bowl, após anotar 7 interceptações na temporada passada. A preocupação está no lado oposto, Jason Verrett, apesar de já ter mostrado ser um bom jogador, não se estabiliza na posição por causa de lesões. Desde que foi draftado em 2014, já perdeu 24 de 48 jogos.

Denver Broncos e a Incógnita quanto ao seu QB

O Denver Broncos inicia a temporada querendo deixar o instável 2016 para trás. Mas a instabilidade já começa na principal posição do time, a disputa pela posição de QB titular arrastou-se até a pré-temporada, até que Vance Joseph anunciou Trevor Siemian no comanda do time.

No melhor estilo “nada é tão ruim que não possa piorar”, Paxton Lynch lesionou o ombro e sua previsão de volta é de semanas. Para preencher a vaga o time trouxe o “filho pródigo” Brock Osweiler, que após passar por Houston e Cleveland, retorna para ser o reserva de Siemian. Pelo menos, o milionário salário dele ainda será bancado por Cleveland.

Siemian era a melhor opção, seu recorde ano passado como titular foi de 8-6 com 18 touchdowns e 10 interceptações. Na intertemporada ele operou o ombro, mas ainda assim não perdeu treinos.

Agora os quarterbacks de Denver vão contar com mais proteção, o Broncos focou em reforçar a linha ofensiva, tanto no draft, quanto na free agency. Como o novo esquema ofensivo pede que o QB solte a bola rápido, isso pode ajudá-lo e também reduzir os sacks.

Foi quase no “uni duni tê”, mas Siemian foi o escolhido

Os WRs Demaryius Thomas e Emmanuel Sanders ficaram no time, então o entrosamento com Siemian deve aumentar, se diminuírem o número de drops em relação ao ano passado. O TE Jake Butt foi draftado para ser mais uma opção de alvo, mas uma cirurgia no joelho deixa-o de fora por, pelo menos, 6 jogos.

O jogo corrido também ganhou um reforço, Jamaal Charles chegou e tenta provar que deixou as lesões para trás. Ele vai dividir as carregadas com CJ Anderson e Devontae Booker, que precisam melhorar a média de 97 jardas por jogo estabelecida em 2016.

Defesa do Broncos Poderosa Novamente?

O ponto forte do Broncos continua sendo sua defesa, mesmo com a queda de rendimento ano passado, segundo alguns especialistas. Foi ela que manteve o time na corrida pela pós-temporada. Foram 50 drives de “three and out”, mas a “peneira” contra a corrida foi prejudicial ao time. Isso levou a equipe a contratar reforços para o front seven como Domata Peko e Zach Kerr. O único jogador mais estável contra corridas, o DE Derek Wolfe se mantém no time.

Von Miller permanece como líder do setor e vai continuar no pass rush. A famosa “no fly zone” quer ser a segunda equipe da liga a liderar a defesa contra o passe por 3 temporadas seguidas.

Na secundária, os CBs Chris Harris e Aqib Talib tiveram boas temporadas. Os safeties Darian Stewart e TJ Ward devem manter a cobertura e até dar alguns tackles, se necessário.

Os 2 times têm pontos fracos que podem ser explorados pelo lado oposto, aquele que errar menos pode sair líder da AFC Oeste.

O primeiro Monday Night Football narrado por uma mulher!

O jogo desta semana marca a estreia de Beth Mowins como narradora na temporada regular, e mais, em horário nobre: no Monday Night Football, ao lado do ex-técnico Rex Ryan.

A ESPN brasileira também inovará e trará Paula Ivoglo, do site NFL de Bolsa, para participar da transmissão como comentarista. Parabéns à ESPN e à Paula, que você represente bem todas as mulheres que curtem esse esporte que tanto amamos!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *