PRÉVIA DIVISIONAL ROUND HOUSTON TEXANS X NEW ENGLAND PATRIOTS

PRÉVIA DIVISIONAL ROUND HOUSTON TEXANS X NEW ENGLAND PATRIOTS

O segundo jogo de sábado terá 2 times da AFC tentando chegar à final de conferência. Para um, o Super Bowl seria um feito inédito, para outro o Lombardi já é um velho conhecido. O Houston Texans vai encarar o frio de Massachusetts e o New England Patriots.

Se para o New England Patriots estar na pós-temporada é o mínimo que sua torcida espera, pois desde 2003 o time chega a pelo menos a fase de wildcard, para o Houston Texans foi um alívio já que o time que não chegava aos playoffs desde 2012, quando jogou contra o mesmo Patriots, também em Foxboro, e perdeu por 41 a 28. Os times chegaram ao playoffs por vencerem suas divisões, mas enquanto o New England conseguiu descansar por ter a melhor campanha de toda a conferência, o Texans teve que superar o Oakland Raiders na semana anterior e saiu vitorioso com o placar de 27 a 14.

Abraço coletivo
Abraço coletivo

Os times já se enfrentaram na semana 3 da temporada regular e, mesmo jogando com o quarterback 3, Jacoby Brissett, o Patriots levou a melhor no confronto e venceu por 27 a 0. No mesmo jogo, Brock Osweiler arremessou para 196 jardas, não marcou nenhum touchdown e foi interceptado uma vez.

Os dois times estão em extremos em termos de quarterback, enquanto o Patriots tem Tom Brady jogando uma das melhores temporadas de sua carreira mesmo perdendo 4 jogos em função do “Deflategate” e sendo um os favoritos ao prêmio de MVP, o Texans tem em Brock Osweiler uma contratação cara, que pode não ter sido o melhor negócio para o time, afinal o quarterback tem uma proporção de 15 touchdowns para 16 interceptações.

Se Brady é considerado candidato a melhor jogador da temporada, ele fez por merecer, foram 3.554 jardas de passe e a incrível proporção de 28 touchdowns para apenas 2 interceptações em 12 jogos. Se quiser superar o descansado Brady e jogar o Super Bowl no NRG Stadium, Brock Osweiler terá que jogar mais da maneira que jogou contra o Raiders, quando ele fez vários scrambles, não foi sacado, correu para um touchdown e lançou para outro mesmo arremessando para para 168 jardas.

Por céu ou por terra, a bola chega lá!
Por céu ou por terra, a bola chega lá!

Os running backs dos dois times terão tackles e boas defesas para superar se quiserem chegar à endzone. Lamar Miller tem feito uma temporada sólida e passou das 1.000 jardas na temporada regular (1.073) com 5 touchdowns marcados e contra o Raiders no wildcard, ele anotou 73 jardas em 23 carregadas. Em 5 jogos consecutivos ele teve 73 jardas ou mais. Correndo pelo Patriots está LeGarrette Blount, que teve a melhor temporada de sua carreira, também ultrapassando as 1.000 jardas (1.161), mas ele ultrapassou a linha da endzone 18 vezes, no primeiro encontro contra o Houston. Blount anotou 105 jardas e 2 touchdowns. Curiosamente o RB James White entra em campo como RB, mas anota pontos recebendo, ele é o segundo maior pontuador com 5 touchdowns aéreos.

O diferencial pode estar no ataque aéreo: enquanto mesmo sem Rob Gronkowski, Tom Brady teve outros alvos para seus passes como Martellus Bennett na posição de Tight end – o maior pontuador da equipe com 7 touchdowns, além de diversos recebedores como Chris Hogan, Malcolm Mitchell e o recém contratado Michael Floyd, que combinados tem 9 touchdowns marcados e colocam o Patriots como o 4º melhor ataque aéreo da liga (269,2 jardas em média). A principal dupla de recebedores do Patriots estará em campo, Danny Amendola volta a jogar após ficar diversos jogos se recuperando de uma lesão no tornozelo, mas devemos ver TB12 lançando principalmente para Julian Edelman, que chega com 1.106 jardas aéreas. Porém, contra o Houston foi controlado a apenas 38.

DeAndre Hopkins

Os recebedores do Houston esperam que Osweiler melhore sua mira, pois o time é o 29º em jardas de passe com a média de 198,5 jardas por jogo. DeAndre Hopkins, que contra o Raiders teve 67 jardas em 5 recepções, é o recebedor mais sólido do time com 954 jardas e 4 touchdowns na temporada regular. Will Fuller, WR 2 do time e os 2 TEs CJ Fiedorowicz e Ryan Griffin tem 8 touchdowns combinados.

Se as defesas se enfrentassem frente a frente, teríamos um jogo mais equilibrado. Bill O’Brian soube absorver os conhecimentos de seu mentor Bill Belichick e montou uma das melhores defesas da liga, que mesmo sem JJ Watt numa temporada inteira, permite uma média de 20,5 pontos por jogo. Boa parte disso é mérito de jogadores como Jadeveon Clowney, Benardrick McKinney e Whitney Mercilus. Clowney se tornou a liderança da defesa com a ausência de Watt em campo, ele tem 6 sacks na temporada regular, seguido de McKinney, que tem 5. O coordenador defensivo Romeo Crennel também conseguiu montar uma boa secundária com os CBs Kareem Jackson e AJ Bouye, além do safety André Hal, mas pode sentir a falta do safety Quintin Demps, líder de interceptações da equipe com 6, que machucou a parte posterior da coxa contra o Raiders. Caso o Houston não prossiga na disputa, podemos ver a despedida do nose tackle e “ursinho carinhoso” Vince Wilfork, que anunciou sua aposentadoria. Wilfork também jogou pelo Patriots e esteve presente em 2 Super Bowls do time.

Vince Wilfork
Vince Wilfork fica, vai ter bolo.

Se de um lado temos o discípulo, do outro lado temos o mestre. Bill Belichick, cujo esquema defensivo é considerado o melhor da liga, permitindo cerca de 5,2 jardas por jogada em geral e menos de 4 jardas corridas. Nos 2 últimos jogos entre as equipes, o Patriots permitiu 284 jardas e 189 jardas ao Texans. Lamar Miller terá trabalho em passar por essa defesa, a 4ª melhor permitindo apenas a média de 88,6 jardas com jogadores como Dont’a Hightower, Rob Ninkovich, Chris Long e Shea McClellin no front seven. Enquanto a secundária segura os adversários em 237,9 jardas de média com Malcolm Butler, Logan Ryan e Patrick Chung. Mesmo com uma defesa tão poderosa, o time tem apenas 34 sacks anotados e 23 roubadas de bola no total.

Chris Long

Na semana 2, o Patriots conseguiu recuperar e capitalizar 2 fumbles dos times especiais do Texans, que também errou duas vezes contra o Raiders na rodada de wildcard. Os times especiais do Patriots consegue forçar seus adversários nas piores posições de campo possíveis. O kicker Stephen Gostkowski falhou em diversas vezes perdendo 5 de 27 field goals tentados e 3 de 46 extra points chutados. Para Houston, Nick Novak também tem seus erros: foram 35 field goals de 41 tentados e 22 de 25 extra points convertidos. Com a expectativa da temperatura estar em 6 graus negativos na hora do jogo (com sensação térmica até menor), os acertos e erros dos kickers podem ser cruciais.

É inegável o favoritismo de Brady, Belichick e do Patriots, mas os playoffs oferecem surpresas em todas as rodadas e uma boa atuação da defesa do Houston pode aquecer o jogo na fria Boston. Bom jogo a todos!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *