PANTHERS LIVRE DE PUNIÇÃO POR VIOLAÇÃO DE PROTOCOLO DE CONCUSSÃO

PANTHERS LIVRE DE PUNIÇÃO POR VIOLAÇÃO DE PROTOCOLO DE CONCUSSÃO

Nessa quarta-feira (24), a NFL anunciou que o Carolina Panthers não será punido por violação do protocolo de concussão com seu QB, Cam Newton. O anúncio veio após uma investigação conjunta da Liga com a sua associação de jogadores. Com Panthers livre de punição, não haverá multas. Em comunicado oficial, a NFL declarou:

“Newton foi devidamente avaliado na barraca médica lateral e não sofreu uma concussão”.

Para quem não acompanhou, o QB de Carolina tomou um golpe forte na derrota contra o Saints. A pancada aconteceu no início do terceiro quarto. Logo ele foi levado para a tenda para ser avaliado, mas rapidamente voltou para a partida. Tal ação levantou suspeita sobre o uso correto do protocolo de concussão, iniciando, assim, uma investigação sobre o Panthers.

Após suspeita de violação de protocolo, a Liga declarou Panthers livre de punição
Foto: Jonathan Bachman/Getty Images

Tudo explicado após Panthers livre de punição

Para não considerar uma violação ao protocolo de concussão, a NFL e a NFLPA explicaram que Cam Newton não exibia uma instabilidade motora bruta. Além disso, segundo o médico da Liga, Dr. Allen Sills, a lesão foi no olho do QB.

“Os fatos médicos são claros e diretos. O Sr. Newton teve uma lesão no olho, o que é muito claro no vídeo (…). Ele testemunhou isso e a equipe médica também”.

Após o Panthers livre da punição e de toda a investigação da Liga e da associação de jogadores, a NFL chegou a conclusão de que a equipe médica do time agiu com cautela. Lendo o desenrolar dos fatos, para alguns, a impressão que fica é a de que esse processo foi tranquilo e preciso. No entanto, Dr. Sills deixou sua alfinetada para a imprensa e aos “médicos de poltrona”, como ele mesmo definiu:

“Os médicos de poltrona em casa não podem fazer um diagnóstico de concussão apenas em vídeo”.

Dr. Sills, em declaração a Ian Rapoport, criticou pessoas e veículos que opinaram sobre a questão sem os fatos.

“Algumas pessoas nem sequer são treinadas medicamente. Nós pensamos que isso é imprudente e irresponsável”, finalizou o médico.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *