OS HEAD COACHES DA AFC NORTH

OS HEAD COACHES DA AFC NORTH

O head coach é ninguém menos que o treinador principal de um time, peça fundamental para o andamento de qualquer jogada ou decisão dentro da equipe. Conheça agora um pouco da história de cada um dos coaches da divisão norte da AFC.

Pittsburgh Steelers: Mike Tomlin, marcas significativas

Michael Pettaway Tomlin é o head coach principal do Pittsburgh Steelers. Nascido em 15 de março de 1972, em Hampton, Virginia, Mike nunca jogou futebol americano. Começou sua carreira no esporte já como treinador, em 1995, coordenando o Virginia Military Institute.

Em 1996, na Universidade de Memphis, além de assistente de pós-graduação, trabalhou com os defensive backs e os special teams. Teve passagens pela Universidade do Tennessee, Universidade Estadual do Arkansas e Universidade de Cincinnati.

Foto: Charles LeClaire

Chegou na NFL em 2001, para comandar a defesa do Tampa Bay Buccaneers. De 2002 e 2005, o Bucs liderou a NFL em menos jardas cedidas por jogo. E em todo o tempo que esteve em Tampa, a defesa nunca foi menos do que a sexta melhor da Liga. Em 2006, passou pelo Minnesota Vikings. E, no ano seguinte, foi contratado pelo Pittsburgh Steelers.

Mike é o quinto técnico a atuar nos quatro principais esportes dos EUA (futebol americano, beisebol, basquete e hóquei no gelo); e é o treinador mais jovem a levar sua equipe ao Super Bowl. Em 2009, Tomlin coordenou o Steelers na vitória contra o Arizona Cardinals e levou o título do SB XLIII, aos 37 anos. É o 10° treinador afro-americano da história da NFL e o primeiro do Steelers.

Baltimore Ravens: John Harbaugh, a ascensão

John W. Harbaugh frequentou a Universidade de Miami e, após se formar, trabalhou como assistente em Western Michigan, Pittsburgh Panthers, Morehead State, Cincinnati Bearcats e Indiana Hoosiers. Em 1998 foi contratado pelo Philadelphia Eagles como treinador do special team.

Em 2007 se tornou treinador dos defensive backs. Na época, os executivos da Liga não acreditavam que um treinador de times especiais tivesse capacidade para se tornar técnico principal de uma equipe. Mas, no ano seguinte se tornou head coach do Ravens, após o, até então coordenador ofensivo do Cowboys, Jason Garrett, recusar a oferta.

Foto: David Richard

John tem família na NFL. Seu irmão, Jim, e ele foram os primeiros na história da NFL a atuarem como treinadores principais. O primeiro encontro foi na semana 12 da temporada de 2011. No dia de Ação de Graças, o Ravens derrotou o 49ers (onde o irmão atuava) por 16-6. Os dois ainda se enfrentaram no Super Bowl XLVII, em 2013, em que John também levou a melhor: vitória do Ravens por 34 a 31.

Ele é o único técnico da história da Liga a vencer pelo menos um jogo nos playoffs em cada uma de suas cinco primeiras temporadas, sendo assim, um dos head coaches mais respeitados da NFL. Desde que chegou ao Ravens foram 95 vitórias, incluindo playoffs, superando Brian Billick com o maior número de vitórias liderando a franquia. Além de 2 vitórias da AFC North, 3 aparições na AFC Championship, e é claro, o título do SB XLVII.

Cleveland Browns: Hue Jackson, o nômade dos coaches

Huey Jackson começou sua carreira como head coach em 1987 na Universidade do Pacífico, onde ficou por 3 anos. No college teve passagem por diversas Universidades, com destaque para Southern Califonia, em que ajudou a desenvolver Carson Palmer.

Jackson também possui uma extensa carreira na NFL. Entre 2001 e 2003 foi treinador de running backs e coordenador ofensivo de Washington. No ano seguinte foi para Cincinnati, onde se tornou coach dos wide receivers por 3 temporadas. Após sair do Bengals, Hue foi contratado como coordenador ofensivo pelo Atlanta Falcons, ficando apenas por um ano. Em 2008 e 2009 foi treinador de quarterbacks do Baltimore Ravens, onde treinou Joe Flacco.

Foto: Jason Miller

Em 2010, seu destino foi o Oakland Raiders. Inicialmente, Jackson era coordenador ofensivo. Mas, em 2011, após levar o ataque do Raiders ao 6° lugar da NFL em pontos por partida e 10° geral, foi nomeado head coach. Porém, foi demitido ao final da temporada, após o time terminar 8-8. Retornou ao Cincinnati Bengals como assistente do treinador dos defensive backs e auxiliando no special team. Em 2013 se tornou treinador dos DBs, substituindo Jim Anderson. Um ano depois, foi promovido a coordenador ofensivo do Bengals, onde ficou por mais duas temporadas.

Em janeiro de 2016 assinou com o Cleveland Browns. Sua primeira temporada na equipe não foi nada animadora. Foi o primeiro treinador da NFL, desde Rod Marinelli em 2008, a começar uma temporada 0-14. Sua primeira vitória foi no final da temporada regular contra o San Diego Chargers, 20-17.

Cincinnati Bengals: Marvin Lewis, a cara do Bengals

Marvin Ronald Lewis começou a jogar futebol americano com apenas 9 anos, como safety e quarterback. Na Idaho State University, onde se formou, atuou como linebacker e ganhou todas as três edições da Big Sky Conference que disputou.

Sua carreira profissional começou ainda na Universidade. Foi assistente de pós-graduação antes de se tornar treinador dos linebackers do time por quatro temporadas. Em 2001, foi incluído no Hall of Fame da Idaho State. E também foi assistente na Long Beach State University, Universidade do Novo México e Universidade de Pittsburgh.

Foto: Aaron Doster

Ainda como assistente, mas agora na NFL, passou por estágios no Kansas City Chiefs e San Francisco 49ers. Ainda foi treinador de LBs do Pittsburgh Steelers, coordenador defensivo do Ravens e do Redskins. Até aceitar o cargo de coach principal de um time, Lewis recebeu diversas propostas, mas recusou todas. Em janeiro de 2003 aceitou a proposta do Cincinnati Bengals para substituir Dick LeBeau e se tornou head coach da equipe. Foi com Marvin que Cincinnati venceu pela primeira vez todos os seis jogos de uma temporada contra seus adversários de divisão.

Lewis é o segundo head coach mais antigo em uma equipe da NFL, 14 anos, atrás apenas de Bill Belichick. Também é o treinador que passou mais tempo liderando o Cincinnati Bengals. Em 2014, se tornou o 37° treinador da NFL a vencer 100 partidas na temporada regular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *