BIG BEN, STEELERS E A CRISE DE PITTSBURGH

BIG BEN, STEELERS E A CRISE DE PITTSBURGH

O desempenho de Big Ben, quarterback do Pittsburgh Steelers, na partida contra o Jacksonville Jaguars, válida pela semana 5 da NFL, chocou os fãs do esporte. Foram nada menos que cinco interceptações, sendo duas retornadas para touchdown.

Em todos os seus 210 jogos na carreira (incluindo playoffs), Big Ben nunca tinha terminado uma partida sem lançar nenhum touchdown e com quatro ou mais interceptações.

Após a partida, surgiram novamente muitos comentários e especulações de uma possível aposentadoria. Sobre esse assunto, Big Ben deu a entender que provavelmente estivesse pensando na possibilidade, mas logo após, foi cirúrgico: “Se eu não me importasse mais, um jogo como o de domingo não me incomodaria.”

Em entrevista na manhã desta terça (10) para o 93.7 The Fan Tuesday, Big Ben falou sobre sua confiança:

“Você acorda na manhã de segunda-feira e percebe que ainda é um dos melhores naquilo que faz. Continuarei confiante. Terei confiança quando sair na quarta-feira para treinar e domingo quando formos para Kansas City. Creio que sou um dos melhores no que faço, o melhor que já jogou nessa posição. Você precisa ter essa confiança, e é isso que eu vou ter.”

A opinião do coach, Mike Tomlin

Na coletiva de imprensa, também nesta terça, o head coach Mike Tomlin foi questionado sobre a atuação de Ben. Tomlin afirmou que Big Ben é muito emocional e não tem medo de dizer o que pensa e sente.

“As vezes isso pode ser alarmante pra vocês (imprensa). Há muitas emoções em um jogo, então ele pode dizer algo depois da partida que permita que vocês tenham uma reação exagerada. A questão é que eu conheço Ben há 11 anos. Conheço o competidor que ele é e seu nível de confiança. O que ele diz após um jogo em que lança 5 interceptações, provavelmente não é reflexo de quem ele é e como ele se sente. É por isso que lido com esses comentários como se fossem pequenos grãos de sal, não reajo da mesma maneira que alguns de vocês quando ouvem essas declarações.”

Mike também falou sobre a possível aposentadoria de Roethlisberger:

“No ano passado, após a decepcionante saída nos playoffs ele comentou sobre aposentadoria. Foram a lua com isso. Aqui estamos hoje e ele ainda é nosso quarterback, então escreva sobre o que você quiser.”

O desempenho do ataque do Pittsburgh Steelers

A atuação do quarterback também chamou atenção para a temporada dos Steelers. Apesar do primeiro lugar na AFC North e recorde 3-2, a equipe ainda não convenceu. Para um ataque que conta com grandes nomes como Le’Veon Bell e Antonio Brown, os números poderiam ser melhores.

Os Steelers enfrentaram 3 defesas tecnicamente mais fortes (Vikings, Ravens e Jaguars), mas convenhamos que apenas uma delas entrou em campo, a do Jaguars. As outras duas foram Browns (sem comentários) e Bears, que apesar de não possuir atualmente uma defesa forte (permitiu 124 pontos em 5 jogos), venceu o jogo. Ainda sim Pittsburgh está em 19º lugar no ranking geral da NFL em pontos totais.

Como o desempenho de Roethlisberger afeta o Pittsburgh Steelers? Apesar das 1.269 jardas aéreas em apenas 5 partidas, Big Ben possui uma porcentagem baixa de passes completados, 61,5% e apenas 6 touchdowns. As interceptações também influenciam, foram 7 em 5 jogos. Atualmente seu rating é de 75.8, muito baixo para um quarterback do cacife de Big Ben.

Claro que a culpa não é toda do quarterback. Todo o ataque tem enfrentado problemas. Antonio Brown, principal receiver da equipe, pegou apenas 62,5% dos passes lançados em sua direção e a linha ofensiva permitiu 9 sacks no quarterback

O jogo corrido também tem sido pouco utilizado. São apenas 450 jardas até o momento. Em uma equipe que os passes não estão sendo tão bem sucedidos, o jogo terrestre precisa ser mais acionado, ainda mais contando com um dos melhores running backs da Liga, Le’Veon Bell.

Segundo Big Ben, ele não vê nenhum problema em sua mecânica:

“Meus ombros e cotovelo estão bem. Normalmente, o primeiro sinal de problemas mecânicos é quando você começa a ter dores nessas partes, e eu não tenho nada disso. Então, honestamente, acho que seu talento não desaparece. Você vai mal às vezes, mas não desaparece. Então, estamos prontos para jogar um excelente futebol.”

A volta por cima

Ainda não é momento para o completo desespero. Os Steelers ainda são líderes da divisão, empatados no recorde de 3-2 com o Baltimore Ravens, porém ganham no desempate dentro da divisão. Na Conferência, estão na 4ª posição geral. O schedule não está fácil. Pittsburgh enfrentará, ainda nesta temporada equipes como Detroit Lions, Green Bay Packers, New England Patriots e Houston Texans. Os problemas precisam ser resolvidos o quanto antes, caso ainda sonhem com uma vaga nos playoffs.

O próximo confronto do Pittsburgh Steelers é no próximo domingo (15) contra o Kansas City Chiefs. Um time completo, com ataque e principalmente defesa muito fortes. Será o maior desafio de Pittsburgh e é preciso pelo menos manter um jogo competitivo para que o time mantenha a motivação para resto da temporada e melhore a auto-estima, individual e da equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *