NFL E O TRAUMA DA RUPTURA DE LIGAMENTOS (LCA)

NFL E O TRAUMA DA RUPTURA DE LIGAMENTOS (LCA)

Esse ano, não diferente de todos os outros, a Liga inteira sofreu com a perda de muitos jogadores por conta de rupturas de ligamentos. Um mais específico do que qualquer outro, o Ligamento Cruzado Anterior, mais conhecido como LCA (ou ACL do inglês Anterior Crossed Ligament), localizado no joelho.

A lista de jogadores que sofreram com essa lesão específica é ENORME somando 51 nomes no total, forma praticamente um time inteiro! Por isso, preparamos um texto que explica a complexidade da lesão, as posições mais afetadas e o porquê da longa recuperação.

LCA’s rompidos antes da semana 1

Por incrível que pareça, houve muitas lesões de LCA antes mesmo da temporada regular começar. Como principais nomes desse período podemos citar: Devin Smith WR Bears, Devin Fuller WR Falcons, Deante’ Gray WR Texans, Bishop Sankey RB Vikings, Ryan Tannehill QB Dolphins e Julian Edelman WR Patriots.

Tannehill chegou a treinar com o Dolphins na pré temporada, mas teve que realizar a cirurgia.

Além deles, outros 25 nomes fazem parte dessa lista de lesionados antes da semana 1.

LCA’s rompidos após a semana 1

Durante a temporada regular, um total de 20 jogadores tiveram seus ligamentos rompidos. Dentre eles os destaques foram: Allen Robinson WR Jaguars, Darren Sproles RB Eagles, Krishawn Hogan WR Colts, Deshaun Watson QB Texans, Carson Wentz QB Eagles, Jaelen Strong WR Jaguars e Eli Rogers WR Steelers.

Sproles acabou lesionando na mesma jogada o LCA e fraturou o antebraço

Posições que mais sofreram

Dentre essas 51 lesões, algumas posições foram destaque:

Linebackers: Total de 10.

Wide Receivers: Total de 9

Offensive Lineman: Total de 8

Cornerbacks: Total de 6

Safeties: Total de 5

Defensive Ends, Running Backs e Quarterbacks: Total de 3 cada uma.

Long Snappers: Total de 2

Defensive Tackles e Punters: Total de 1 cada uma.

E o por quê da diferença numérica entre as posições? A resposta é simples, mas antes, precisamos entender o porquê um Ligamento Cruzado Anterior se rompe.

Rompendo um ligamento

A Ressonância Magnética é o único exame que comprova realmente uma ruptura de ligamento, que aparece em formato de estruturas escuras no exame.

Quando um ligamento está rompido, ele não aparece no exame.

Ligamentos são estruturas do corpo humano que ligam nossos ossos uns aos outros, diferentemente dos tendões (que ligam um músculo a um osso), eles são estruturas pouco contráteis e limitantes dos movimentos. Sendo assim, são estruturas difíceis de romper, mas quando acontece, normalmente é devido a um trauma mecânico (uma pancada, por exemplo).

Porém, se há algo que quase todas as pessoas que trabalham na área da saúde sabem é que no corpo humano tudo é possível, e como ligamentos são feitos para limitar movimentos, quando uma amplitude de movimento (ADM) é maior do que a fisiológica, ele também tende a se romper.

O Fêmur e a Tíbia se movimentam anteriormente e posteriormente entre si, para isso, o LCA e o LCP (ligamento cruzado posterior) estão ali.

Em uma mudança rápida de direção, ou em algum tipo de movimentação no qual o joelho tente a hiperestender, também pode levar a ruptura de algum dos dois ligamentos.

Linebackers e Wide Receivers são duas das posições que mais executam mudanças bruscas de direções e Offensive Linemans por maior que sejam os cuidados tomados, sempre acabam sofrendo com traumas no joelho por muitas vezes mais de um jogador acabar caindo em cima da articulação.

As outras posições citadas sofreram rupturas por conta de uma mistura dos dois motivos.

Recuperando um ligamento

Ligamentos não são estruturas que se regeneram sozinhas, então o único modo de recuperação é a cirurgia.

Com o passar dos anos e o avanço da tecnologia dentro da medicina, descobriu-se formas menos invasivas para a recuperação de um ligamento. Hoje em dia, o formato cirúrgico mais usado é por videolaparoscopia, em que por meio de pequenos furos, o cirurgião introduz os instrumentos e a câmera na qual ele visualizará todo o procedimento através de um monitor.

Parece brincadeira, mas o pós cirúrgico é exatamente esse.

O LCA rompido não é passível de ser refeito, portanto há 3 opções mais conhecidas para substituição do mesmo:

1) Retirando um pedaço do tendão patelar

O tipo de cirurgia com o pós-operatório mais dolorido

2) Retirando um pedaço do tendão da musculatura posterior da coxa

O famoso Hamstring. O tendão seria a parte mais clara ao final do músculo colocado em vermelho

3) Retirando de um cadáver.

Em atletas de elite, o melhor quadro possível seria a terceira opção, pois não haveria mudança em nenhuma outra estrutura. Então, você deve estar se perguntando o porque de mesmo com todos esses avanços os jogadores muitas vezes não conseguem retornar ao campo na mesma temporada, mesmo que a lesão tenha acontecido antes dela. A resposta é simples: leva-se muito tempo para a recuperação cirúrgica estar 100%.

Para um LCA ser refeito, algumas vezes é preciso realizar um furo na Tíbia e no Fêmur para que ele se mantenha no lugar do anterior, e essa cicatrização leva tempo.

Fisioterapeuticamente falando

Após a cirurgia há alguns protocolos de reabilitação para LCA no qual o paciente pode receber alta e voltar à vida normal em até 4 meses, mas são protocolos delicados e pouquíssimo recomendados. Os protocolos mais utilizados são os que o paciente recebe alta em até 8 meses.

Dentro da fisioterapia, o paciente (seja ele atleta ou não) precisa passar por algumas etapas de recuperação que são elas: Redução de inchaço, redução de dor, ganho de ADM, ganho de força e propriocepção.

Parece fácil, mas essas fases levam tempo e se qualquer uma delas não for executada com maestria pelo fisioterapeuta, no caso dos atletas de elite, eles podem sofrer consequências em campo em uma próxima temporada, ou até depois de se aposentarem como uma artrose precoce na articulação do joelho, por exemplo.

Por conta de todos esses minuciosos detalhes, quando o jogador sofre uma ruptura de LCA, ele normalmente não volta a campo na mesma temporada.

Se ficou alguma dúvida no ar, deixa aí pra gente saber. =)

Até a próxima.

<3

One thought on “NFL E O TRAUMA DA RUPTURA DE LIGAMENTOS (LCA)

  1. Belíssima matéria, Fabi! Eu só complementaria que, na minha experiência, romper ligamento foi mais dolorido do q fratura…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *