NAACP E A NFL: UM COMÍCIO PARA FALAR SOBRE KAEPERNICK

NAACP E A NFL: UM COMÍCIO PARA FALAR SOBRE KAEPERNICK

Nessa quarta-feira (23), a Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor – NAACP (sigla em inglês) solicitou uma reunião com o Comissário Roger Goodell. A finalidade do encontro seria fazer com que NAACP e a NFL possam discutir sobre os direitos da Primeira Emenda. Além de questões de liberdade de expressão envolvendo jogadores. Com isso, vão falar também sobre a situação do QB Colin Kaerpernick.

Para quem acompanha a liga e as discussões sobre ativismo, sabe dos protestos feitos pelo ex- San Francisco 49ers. Muitos especulam e afirmam, inclusive a NAACP, que tais protestos renderam a demissão de Kaepernick. A repercussão foi tão grande e o timming tão preciso, que as especulações também se estendem ao fato de que até agora o jogador ainda não possui um time.

A organização de direitos civis mais antiga dos EUA fez a solicitação de uma reunião com a NFL por meio de uma carta. Para convencer que a NAACP e a NFL tenham um diálogo, o presidente e CEO interino da Associação, Derrick Johnson disse:

“Na temporada passada, o Sr. Kaepernick escolheu exercer a primeira emenda ao prostestar contra o tratamento desigual de pessoas de cor na América (…). No entanto, à medida que a temporada da NFL se aproxima, o Sr. Kaepernick gastou uma quantidade de tempo sem precedentes como free agent, e está se tornando cada vez mais evidente que essa não é uma pura coincidência”.

Entre outras coisas, a carta frisa que os atletas não podem ser punidos por exercer sua liberdade de expressão. E é isso que muitos acreditam: o QB sendo punido por ajoelhar durante o hino nacional no início das partidas.

É possível que NAACP e a NFL se entendam?

Um comício chamado “United We Stand” aconteceu em Nova York, no fim da tarde dessa quarta-feira (23), em frente à sede da NFL. Na ocasião, estiveram presentes as Conferências do Estado de Nova York e de Connecticut, o Conselho da Juventude da Providência e membros da Universidade de St. John.

O “United we stand” é organizado por uma coalizão de direitos civis. Isso significa uma aliança entre entidades e organizações religiosas e civis, que inclui The Justice League NYC, The People’s Consortium for Human and Civil Rights. Também participam da organização o Rainbow PUSH Coalition, Tamika Mallory e Symone Sanders.

Anthony Davis ainda ressalta que “o propósito disso se estende muito mais longe do que o Sr. Kaepernick conseguir um emprego nesta temporada”. Davis afirma que atitudes como a da NFL, de se abster de assinar com Kaep por conta de seus protestos envia uma mensagem ruim. A de que outros atletas profissionais, para manter seu emprego, devem permanecer em silêncio e sem protestar por seus ideais.

Espera-se que a NAACP e a NFL realmente se entendam nessa e também em outras questões. Pois como é de conhecimento público, Kaepernick não foi o único a fazer protestos na liga. Questões de ativismo devem ser analisadas e discutidas, sem que se cometam injustiças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *