ENTENDA O CASO: GABRIEL HASSANI x RICARDO TRIGO

ENTENDA O CASO: GABRIEL HASSANI x RICARDO TRIGO

Ontem a ESPN publicou uma matéria que agitou o mundo FABR: o processo que o ex-atleta do Corinthians SteamRollers, Gabriel Hassani, abriu contra o presidente do time, Ricardo Trigo.

De acordo com os autos do processo, Gabriel acusa Trigo de agressão durante um jogo em 22/01/2017, após uma discussão do atleta com um jogador do time adversário. Além do presidente, o clube também está sendo processado.

A partir da publicação da matéria na ESPN, várias versões começaram a aparecer nas redes sociais, grupos de whatsapp e sites, por isso entramos em contato com o Gabriel para tentar saber mais detalhes do ocorrido. Ele nos disse que não poderia conceder entrevista, pois está orientado pelos seus advogados a falar sobre o assunto apenas em juízo. Entendemos e respeitamos. Logo, infelizmente, tudo que temos relacionado a acusação feita pelo ex-atleta se resume na publicação das partes do processo.

Entramos em contato com o Trigo e conseguimos bater um papo com ele sobre a publicação da notícia. Ele disse que apesar da grande repercussão, ele não foi notificado oficialmente ainda. Apesar da ação, ele continuará na presidência do SteamRollers.

Segundo ele, algumas falhas da comissão técnica na condução do time na época, podem ter culminado para o mau comportamento de alguns jogadores, incluindo o de Gabriel, que no jogo citado nos autos, teria agredido um atleta adversário que estava caído no chão.  Trigo disse que foi essa atitude que desencadeou o desentendimento entre ele e Gabriel em campo. E que após ambos serem separados pelos colegas de time para que o jogo pudesse continuar, Trigo disse que foi embora do estádio e Gabriel continuou jogando para terminar a partida.

Gabriel foi afastado do time e parte da diretoria do Steams sofreu mudanças também, buscando corrigir as falhas identificadas na comissão.

Questionado sobre a ação de acusação e como ele se sentia em relação a isso, ele disse: isso é algo que eu e o Gabriel vamos resolver, já que é algo que está correndo ajuizado agora, porém, me sinto injustiçado de certa forma, pois tenho a impressão que o trabalho e dedicação que tenho há mais de 10 anos com o futebol americano no Brasil, parece não existir mais, por conta de uma notícia, um problema pontual com um jogador. Eu não sou bandido, não quero que as pessoas me tratem dessa forma e joguem no lixo um histórico inteiro de amor ao esporte e trabalho para que ele cresça no país.”

Trigo reforçou que ele está à disposição da justiça para responder o que for necessário. E que não gostaria que o ocorrido prejudicasse o time ou a imagem do futebol americano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *