DEVON E LEAH STILL, A PIOR BATALHA ELES VENCERAM, AGORA ELE VOLTA A CAMPO

DEVON E LEAH STILL, A PIOR BATALHA ELES VENCERAM, AGORA ELE VOLTA A CAMPO

Em 2014, os fãs da NFL se emocionaram com a história do DL Devon Still e sua pequena filha Leah que, na época, lutava contra um neuroblastoma grau 4, uma grave forma de câncer. Leah lutou bravamente após um prognóstico de 50% de chances de sobrevivência e, ao lado do seu pai, tocou os corações dos torcedores de todos os times.

Devon Still cogitou deixar NFL, mas o seguro de saúde da Liga foi o responsável por custear o tratamento da criança, que ultrapassou os 7 dígitos.

O Cincinnati Bengals, time de Still à época, manteve o jogador em seu elenco e reverteu todo o dinheiro arrecadado com venda das jerseys com seu número para hospitais e pesquisas contra o câncer. Foram quase 15 mil jerseys (Sean Payton, técnico do New Orleans Saints, comprou 100 delas para apoiar a causa) e o time doou a quantia de US$ 1,25 milhão.

 

O DL lembra o quanto ficou devastado quando soube da doença e conta:

“Depois de colocar a mente no lugar, o objetivo era fazer o que fosse necessário para superar a doença já que, a partir do momento em que você começa a perguntar “por que eu?”, eu acho que você já perde a batalha. Uma vez que você põe na mente que você vai vencê-lo, então eu acho que você tem uma chance de ganhar.”

E eles venceram! No dia 25 de março desse ano, Leah celebrou 2 anos de remissão do câncer com um evento de gala na Filadélfia para a sua fundação, a “Still Strong Foundation”, e as crianças que a instituição auxilia. O pai lembra que isso é uma benção e que houve momentos em que chegou a pensar que Leah não conseguiria.

Durante a batalha contra a doença, pai e filha escreveram o livro “I Am Leah Strong”, além de terem participado de várias entrevistas em talk shows. Em 2015, Leah recebeu o Prêmio Jimmy V durante o ESPY Awards e Devon subiu ao palco para receber o prêmio em nome da filha, fazendo um discurso que levou o público às lágrimas.

 A carreira e um novo time para Devon Still

Após 3 temporadas com o Bengals, Devon Still se tornou free agent e passou o ano de 2015 cuidando de Leah. Durante a intertemporada, assinou contrato com o Houston Texans, mas atuou somente em 3 jogos devido a uma lesão no pé que encerrou sua temporada.

Em 2016, Still treinou com o Jets e, este ano, foi chamado para nova avaliação. Na última quinta-feira (03/08), ele recebeu a ligação que tanto esperava.

“Foram 7 meses duros depois de me machucar no quarto jogo da temporada, mas eu batalhei para sair disso. Só estou feliz de estar de volta a um time e a um campo de futebol e ter a oportunidade de fazer o que eu amo, que é jogar futebol americano.” disse Devon Still ao assinar seu contrato com time na sexta-feira.

Ele mal podia esperar para contar a novidade para a pequena Leah, que estava  em um acampamento de cheerleaders em Houston, junto com sua mãe. Em breve, elas devem se mudar para New Jersey. Sorrindo, ele disse que ligaria para dar as boas notícias antes que elas soubessem pela internet.

Still ainda declarou que, enquanto sua filha estava doente, sua atenção manteve-se devotada a ela. Agora que recebe mais uma chance, sem que sua mente seja ocupada por questões externas, seu foco estará no esporte.

“Como pai, eu tive que dedicar minha vida à minha filha. Quando você tem filhos, os sonhos deles se sobrepõem aos seus. Eu decidi botar meus sonhos de jogar futebol na parte de trás, para que a minha filha pudesse estar ainda aqui, vivendo.”

Aos 28 anos, ele provavelmente jogará como reserva da linha defensiva do New York Jets, mas também sabe que se não der certo, terá uma inspiração para seguir em frente e seu nome é Leah.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *