DEAD MONEY E OS TIMES QUE MAIS GASTAM NA NFL

DEAD MONEY E OS TIMES QUE MAIS GASTAM NA NFL

A NFL é bem complexa quanto se trata de dinheiro. Como já pudemos ouvir no Lulucast #42, há muita coisa em jogo, inclusive um limite de gastos de até US$ 167 milhões para cada time, conhecido como salary cap. Mas você sabe o que significa o termo Dead Money?

Quando se trata de contratos da free agency, muitas vezes esse jogador assina um contrato com o time, e acaba saindo antes da hora, está inativo (por lesões) ou é cortado. Mesmo assim, o time com quem esse atleta assinou, precisa pagar seu “salário”, para que não haja a quebra deste contrato. Ou seja, a equipe acaba gastando seu salary cap em um jogador que não está colaborando com a equipe, o que torna esse valor um “dinheiro morto”.

Ou seja, Dead Money é o espaço salarial que uma equipe deve alocar para um jogador em particular que foi cortado, está inativo ou que saiu da equipe. Ele serve como um dispositivo para garantir que cada dólar que uma equipe pague aos jogadores seja eventualmente atribuído ao limite salarial dessa equipe. É como uma dívida bloqueada no salary cap da franquia. Por exemplo, se um time X tenha que gastar 10 milhões em dead money, com o teto salarial de até 167 milhões, ele terá que se virar com 157 milhões de cap total no ano.

Dito isso, vamos conhecer os cinco times que mais gastam com “dinheiro morto” na NFL?

1 – LOS ANGELES CHARGERS (US$ 21,84 Mi)

Orlando Franklin, Guard do LA Chargers

Alguns dos jogadores que o Chargers ainda paga o salário, mas que não estão ativos no roster da equipe são o G Orlando Franklin (para 2017, o gasto com ele é de US$ 8,3 mi, contando salário base e bônus contratual) e o CB Brandon Flowers (bônus contratual de US$ 4 mi). Franklin foi dispensado pelo Chargers no começo de maio, e Flowers tornou-se free agent e cortado da equipe em março.

Outros nomes que pesam no salary cap do Chargers são o de King Dunlap (LT, US$ 3,250 mi), que está aposentado e Stevie Johnson (WR, US$ 1 mi), inativo por tornar-se free agent também em março.

2 – BALTIMORE RAVENS (US$ 18,87 Mi)

Dennis Pitta, Tight End do Baltimore Ravens

A equipe do estado de Maryland ainda tem que se preocupar com o salário do TE inativo Dennis Pitta (US$ 4,9 milhões de contrato morto de 2017 e 2018) e que virou free agent, o LT aposentado Eugene Monroe (US$ 4 mi) e três jogadores que agora estão defendendo outras franquias.

Os três jogadores citados acima são o CB Shareece Wright (que está no Bills, mas o Ravens o paga US$ 2,666 mi de bônus no contrato já assinado), o OLB Elvis Dumervil (no 49ers, mas que tem US$ 2,375 mi de bônus de sua ex-franquia pra este ano) e o RB Justin Forsett (no Broncos, mas ainda tem US$ 700 mil pra receber).

3 – NEW YORK JETS (US$ 17,32 M)

Darrelle Revis, Cornerback do NY Jets

A equipe mais cotada à first pick na temporada que vem está gastando dinheiro com peças importantes que poderiam estar colaborando com o roster atual (e bem desfalcado) da equipe. O maior destaque deles é o CB Darrelle Revis, que custa ao cap do Jets cerca de US$ 6 mi, e que vive na lista de jogadores inativos (e que virou free agent) do time.

O QB Ryan Fitzpatrick (agora no Buccaneers, que ainda custa US$ 5 mi aos cofres do Jets), o WR Eric Decker (que foi para o Titans e que ainda vai receber US$ 3 mi da sua ex-equipe) e o RT Breno Giacomini (que está no Texans e ainda tem US$ 625 mil) são outros exemplos de dead money da equipe de Nova Jersey.

4 – NEW ORLEANS SAINTS (US$ 16,75 M)

Keenan Lewis, Cornerback do New Orleans Saints

Em Louisiana, o time vem sofrendo com a defesa e não é de hoje. E pra piorar, os maiores gastos de cap com dead money deles vem de dois jogadores da linha defensiva: o CB Keenan Lewis receberá US$3,6 mi da equipe, mesmo na lista de jogadores inativos que viraram free agents.

Outro jogador que faz falta é o FS Jairus Byrd, que neste ano custará US$ 3,4 mi, mais o contrato de 2018 de US$ 4,6 mi. O Safety tornou-se free agent em fevereiro, e está a procura de uma nova equipe. É Saints, assim fica difícil, né?

5 – DALLAS COWBOYS (US$ 16,25 M)

Tony Romo, ex-QB do Dallas Cowboys 

E quem disse que o America’s Team estaria livre das dívidas e dos gastos com jogadores inativos, né? O principal deles é o QB Tony Romo, que aposentou-se para se tornar comentarista de futebol americano na CBS! Ele ainda tem US$ 10,7 mi para receber da equipe de Dallas este ano.

Outro jogador que não está mais no Cowboys é o CB Brandon Carr (que está no Ravens, mas ainda vai custar US$ 2,717 mi para o time da estrela).

A título de curiosidade, vale também saber os times que mais economizam com dead money, ou seja, os que tem menos preocupação com o salary cap deles.

  1. Oakland Raiders (US$ 55 mil)
  2. Denver Broncos (US$ 72 mil)
  3. Cincinnati Bengals (US$ 333 mil)
  4. Seattle Seahawks (US$ 827 mil)
  5. Tampa Bay Buccaneers (US$ 865 mil)
Foto do Romo: Tom Pennington / Getty Images. Fontes: BleacherReport, Spotrac.com, rotoworld.com

One thought on “DEAD MONEY E OS TIMES QUE MAIS GASTAM NA NFL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *