KIRK COUSINS RECUSOU CONTRATO POR “CHAMADO DIVINO”: ENTENDA A SITUAÇÃO DO JOGADOR

KIRK COUSINS RECUSOU CONTRATO POR “CHAMADO DIVINO”: ENTENDA A SITUAÇÃO DO JOGADOR

A renovação com o QB Kirk Cousins tem sido uma das principais preocupações do Washington Redskins nas últimas duas temporadas. O jogador de 29 anos é o primeiro na história da NFL a receber  a franchise tag em dois anos consecutivos, e sua estadia em Washington parece distante de uma definição de longo prazo.

A fé de Cousins

A polêmica decisão de recusar um dos contratos mais lucrativos da história da liga (com US$53 milhões garantidos e US$ 19 milhões adicionais em caso de lesão) foi justificada pelo jogador de forma bastante simples: Deus. Em entrevista recente na Universidade Liberty, o jogador fez a seguinte declaração:

“Eu rezei enquanto pensava nisso, e eu acredito que Deus, pelo menos em minha vida, gosta de contratos de um ano, e não contratos de longo prazo. Ele gosta de me conduzir à margem do Mar Vermelho e me mostrar que há água diante de mim, montanhas em ambos os lados e egípcios correndo atrás de mim. E Ele quer que eu sente por um momento e pense “Deus, é melhor você aparecer”. E então ele abre o Mar Vermelho e ele já fez isso diversas vezes em minha vida, dentro e fora do campo de futebol.”

Além da declaração de fé, é de conhecimento público que a negociação entre Cousins e o Redskins foi tensa. O montante garantido na oferta do Redskins seria inferior ao que ele receberá neste ano com a Franchise Tag, e a relação do jogador com o Presidente do time, Bruce Allen, não parece ser das melhores (quem não se lembra de quando ele chamou o jogador de Kurt repetidas vezes?).

Se financeiramente a decisão foi vantajosa, no longo prazo ela é bastante arriscada. Para um jogador de 29 anos num esporte conhecido pelo altíssimo número de lesões, as perspectivas futuras podem sumir num piscar de olhos.

Se Cousins se machucasse ao longo da temporada, ele dificilmente conseguiria outro contrato tão lucrativo para 2018 e possivelmente nos anos seguintes.

Desempenho questionável

Além de todas as considerações financeiras sendo feitas acerca do contrato, uma pergunta ainda precisa ser feita: Será que o desempenho de Cousins justifica toda a polêmica e trabalho da renovação?

Na tarde da última segunda-feira (11), um dia após a derrota do Redskins para o Philadelphia Eagles, uma polêmica entrevista tratou deste ponto. Fred Smoot, ex-cornerback do time, deu a seguinte declaração no programa ESPN 980:

“Estamos falando de um QB que exige mais de US$ 20 milhões por temporada, que não venceu um jogo de playoff, ruim na red zone e que lança para quatro ou cinco mil jardas,mas que não completa os drives. E ele já tem 29 anos.

Você não quer enganar uma garota para que ela saia com você. Você quer que ela saia com você porque ela te ama e quer estar com você. E essa garota deixou claro que não gosta tanto assim de você. Kirk é a garota. Ele não gosta tanto do time quanto diz que gosta. E uma de duas coisas irá acontecer: ou ele nos fará pagar todo esse dinheiro e falir o time a ponto de que não seja possível conseguir alguém que ajude o time a vencer, ficando com um time medíocre nos próximos 5 anos, ou ele vai nos deixar”.

O discurso de Smoot pode ter sido demasia, mas reflete um sentimento comum entre os especialistas: A performance de Cousins tem deixado a desejar.  E fica a pergunta: será que o jogo de Cousins justifica toda a “fadiga” em torno das negociações?

MUDANÇA PARA SAN FRANCISCO?

Em meio às negociações, uma especulação que circula na Liga nos últimos meses é de uma eventual ida de Cousins para o San Francisco 49ers. A franquia californiana, uma das mais desesperadas por um QB consistente, estaria interessada no jogador. Vale lembrar que Kyle Shanahan, novo técnico do 49ers, foi coordenador ofensivo de Cousins durante sua passagem por Washington, e espera-se que consiga renovar a equipe em sua gestão. A posição é definitivamente a mais preocupante no momento, e como em 2018, o time terá um espaço significativo no salary cap, a contratação de Cousins parece bem realista.

Mas mesmo sem ter assinado o contrato com Washington neste ano, o discurso do jogador mostra que uma renovação é possível.

“Gosto dos técnicos, do sistema ofensivo e dos meus colegas de equipe. Minha esposa está feliz e estamos num lugar bom”.

Seja em Washington ou San Francisco, parece que o futuro de Cousins está onde ele quer: nas mãos de Deus.

Fonte: Washington Post, USA Today,

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *