APÓS AGRAVAMENTO EM LESÃO DE BRADFORD, TEDDY BRIDGEWATER PODE VOLTAR?

APÓS AGRAVAMENTO EM LESÃO DE BRADFORD, TEDDY BRIDGEWATER PODE VOLTAR?

O Minnesota Vikings pouco pode desfrutar da alegria de ter acertado na escolha de seu quarterback titular. Sam Bradford fez uma partida surpreendente contra o Saints, mas lesionou o joelho e ficou fora por três partidas. O QB voltou a jogar no confronto contra o Chicago Bears, na segunda-feira (9), mas não apresentou o nível da primeira partida da temporada. Com isso, a briga de QBs no Vikings se acirra.

Bradford saiu do jogo no final do primeiro tempo e Case Keenum novamente o substituiu. Mike Zimmer tomou a decisão correta ao tirar Bradford: o quarterback não conseguia se mover no pocket, não conseguia fugir da pressão da defesa e sofreu quatro sacks na partida. Estava visível que a movimentação de Bradford era limitada por conta de sua lesão. Consequentemente, a falta de confiança o fez realizar jogadas imprecisas e sem firmeza.

briga de QBs no Vikings
Bradford volta a fazer tratamento na lesão do joelho

A decisão errada?

Apesar de Zimmer ter feito o certo ao em tirar Sam Bradford da partida, talvez a decisão de colocá-lo no jogo não tenha sido correta. Zimmer garantiu que toda a equipe técnica e médica disseram que o QB estava preparado. Porém, o jogo piorou sua condição física.

“Ele agravou a sua lesão ao sofrer um tackle em uma das jogadas. Eu só pensei que seria melhor para ele que o tirássemos de lá. Ele não queria sair. Ele queria permanecer e lutar. Mas eu não queria machucá-lo mais” – disse Mike Zimmer.

briga de QBs no Vikings
Coach Mike Zimmer: a decisão de voltar com Bradford foi precipitada?

Bradford inicou um tratamento em Nova Iorque chamado “Regenokine”. O método consiste em retirar o próprio sangue do jogador, colocá-lo em uma centrífuga e injetá-lo novamente em seu joelho durante um período. Esta pode ser a esperança para o joelho de Bradford, que vê sua carreira ameaçada pela lesão.

Em meio a essa confusão toda, o holofote volta-se para Teddy Bridgewater. O quarterback teve uma lesão grave também no joelho em agosto de 2016 e passou por uma cirurgia complexa. Havia a possibilidade de o jovem QB nunca mais jogar. Desde então, ele segue sua recuperação. Esta semana, Bridgewater foi liberado pelo Dr. Dan Cooper para começar a praticar nos treinos.

“Não, ele não vai sair da PUP list.” Disse Mike Zimmer “Ele vai praticar, mas ele tem 21 dias e ele ficará na PUP list até que esteja pronto para jogar.”

Parece que desta vez Mike Zimmer quer ter certeza que seu quarterback está realmente pronto para voltar aos jogos. A equipe terá três semanas para decidir se Teddy Bridgewater ficará na injury reserve até o final da temporada. No entanto, as esperanças são de que o quarterback retorne a jogar em 2017.

E a situação de Bridgewater?

Teddy Bridgewater ficou “desaparecido” por um ano, aparecendo apenas em vídeos treinando com uma proteção em seu joelho. Seria ele então a esperança do Vikings? Ainda não se sabe se o jogador poderá voltar em breve, mas a certeza é de que Minnesota precisa desesperadamente de uma estabilidade na posição.

briga de QBs no Vikings
Bridgewater está confiante que volta a jogar em 2017

Em 2015, Bridgewater aumentou sua porcentagem de acertos em passes, números de jardas e teve números menores de interceptações do que em sua temporada como rookie. O jogador vinha melhorando antes da lesão. De acordo com o contrato coletivo de barganha, se o jogador estiver no seu ano final de contrato e até o sexto jogo não tiver entrado em campo, o contrato automaticamente se estende. Mas com a opção de voltar para os jogos, seu contrato continua expirando em março, como o previsto, e o jogador se torna um agente livre.

Um time sem QB?

O Vikings já teve problemas na posição de quarterback, até foi por isso que Bradford foi chamado. Este ano a história se repete. Primeiro Bridgewater, agora Sam Bradford. Porém, neste ano o jogo de Case Keenum tem feito a diferença. Das quatro vitórias da temporada até então, Keenum teve participação direta em três delas. São 64,2% dos passes completos, um rating entre os dez melhores da liga e cinco TDs passados para uma interceptação. Vale lembrar que Adam Thielen e Stefon Diggs estão com ótimos números de jardas recebidas na temporada. Então pode-se dizer que o Vikings não tem estabilidade na posição, mas está conseguindo resultado com o que tem.

briga de QBs no Vikings
Keenum chamou a responsa para garantir a vitória de divisão contra o Packers

Pelo que já mostrou em sua breve carreira, a volta de Teddy Bridgewater seria um triunfo para o time. Ainda mais pela possibilidade de que ele não conseguisse voltar a jogar. É necessário que a equipe técnica e médica tome a decisão de colocar Bridgewater de maneira cautelosa. A lesão do jogador foi complexa e colocou sua carreira em risco, qualquer “passo em falso” pode ser crucial. Devido ao episódio de Bradford, o Vikings não deve se precipitar com Bridgewater. Aguardaremos as decisões do time!

Deixe seu comentário!

Fontes: nfl.com, espn.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *