A REPERCUSSÃO DA IDA DE JAMES HARRISON PARA O PATRIOTS

A REPERCUSSÃO DA IDA DE JAMES HARRISON PARA O PATRIOTS

James Harrison, novo linebacker do New England Patriots, e ex-Steelers, fez um desabafo em seu instagram nessa sexta-feira (29). O motivo foi a repercussão negativa da sua ida para New England entre os seus ex-companheiros de time.

Segundo Maurkice Pouncey, center do Pittsburgh Steelers, Harrison apagou seu próprio legado. Já Alvin “Bud” Dupree, companheiro de posição, disse que raramente via James no vestiário, que ele não participava de reuniões e treinos, e que tampouco foi visitar Ryan Shazier no hospital. Dupree ainda afirmou que não quer que a mídia retrate que o Steelers seja o motivo da saída de James: “Esse não é o motivo, ele escolheu sair.”

Saiba mais: James Harrison assina como New England Patriots

A declaração de Harrison

Confira na íntegra a declaração do jogador:

“Se alguém pensou que eu assinei um contrato de dois anos com 39 anos com um time da NFL pra sentar no banco e colecionar um cheque e troféu de participação, está enganado. Eu não assinei para sentar no banco e ser líder de torcida. Estava claro sobre isso quando assinei, e foi-me dito que eu estaria em campo, quando assinasse. Pedi por chances no camp e não tive nenhuma. Me falaram: nós sabemos o que pode fazer, você não precisa de repetições. Mas eu sabia o que o meu corpo precisava para estar em forma para competir e eu disse isso, mas continuei sem repetições. No início da temporada, quando ficou claro que eu não tinha mais espaço, pedi pra ser dispensado. Ao longo da temporada, me disseram que eu seria usado uma semana ou outra. Não fui. Comecei a ficar frustrado com a coisa toda. Pedi para não me vestir ou não treinar repetidamente se eu não fosse jogar. Foi o que aconteceu por algumas semanas. Então tivemos uma semana de jogo que treinei bem e todos falaram que eu jogaria. Cheguei ao estádio quatro horas antes da partida, como de costume e meu armário estava vazio. Ninguém me disse nada sobre estar inativo, apenas um armário vazio. Pedi pra ser dispensado novamente e me disseram não. Algumas semanas depois, me vestiram para o jogo, então supus que jogaria e novamente não apareci. Fiquei na sidelide o jogo todo. Pedi pra ser liberado novamente, me disseram não. Então, poucos dias depois, eles me liberaram. Nunca foi me dito que eu seria trazido de volta. Era ‘se trouxermos você de volta, fique em forma’. Passei pelo waivers e não me ligaram. New England me chamou. Além disso, para ser claro, pergunte ao Ryan (Shazier) se eu fui vê-lo no hospital. Eu não ajudei Bud ou TJ (Watt)? Pergunte ao TJ se eu o ajudei. Talvez não tinha lidado da melhor forma com a minha frustração. Se você não aprendeu nada sobre mim em 16 anos, eu sou um competidor. Vivo e respiro a competição. Faço o que é preciso para manter meu corpo e minha mente prontos para estarem em campo. Faço isso por mim e pela minha família. Faço isso pela minha equipe e pelos meus fãs. Nada mais que isso. Para no final do dia, eles tomarem uma decisão de negócios e eu também.”

(Foto: Bill Sikes/Associated Press)

A polêmica do playbook

Uma das grandes preocupações, principalmente dos torcedores do Steelers, era a possível entrega do plano de jogo do time para o New England Patriots. Vale ressaltar que o linebacker foi dispensado à beira dos playoffs, momento em que as equipes poderão se esbarrar. Segundo Harrison, Bill Belichick, head coach de New England, não pediu nada para ele.

Possível confronto

Muito se fala sobre uma possível “revanche” de James contra o Pittsburgh Steelers. Há grande chance de sua ex-equipe enfrentar o New England Patriots na AFC Championship. Quando questionado sobre o assunto, James disse apenas: “Poderia.”

O jogador que assinou com o Patriots na terça-feira, disse que levou cerca de 30 snaps no treino da quarta-feira para ser informado que jogaria a última partida da temporada regular, no domingo, contra o New York Jets.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *