5 CALOUROS PROMESSAS QUE VOCÊ NÃO NOTOU

5 CALOUROS PROMESSAS QUE VOCÊ NÃO NOTOU

Dak Prescott e Ezekiel Elliott lideraram o ataque do Dallas Cowboys como veteranos e bateram o recorde de número de vitórias da franquia. Carson Wentz com 379 passes se tornou o calouro com mais passes completos da história da liga. Jordan Howard foi o nome do ataque do Chicago Bears com mais 1.300 jardas e seis touchdowns. Michael Thomas, sob o comando de Drew Brees, obteve a segunda maior marca de um calouro na NFL com apenas dois drops em 121 targets e 92 recepções. Tyreek Hill brilhou tanto no Special Teams de Kansas City que virou um dos principais alvos de Alex Smith. Malcon Mitchell no Super Bowl ajudou os Patriots na virada histórica com 70 jardas e 6 recepções. Na defesa, Joey Bosa com 10.5 sacks levou o prêmio de Defensive Rookie of the Year.

Esses foram os calouros que você tanto ouviu falar. Aqueles que nos encantaram e nos surpreenderam ao longo da temporada. Os grandes centros dos holofotes e que tiveram todas as câmeras voltadas para eles a cada snap. Esses garotos brilharam tanto e a expectativa de um longo futuro para esses nomes é enorme e acabamos ignorando outros jovens. Com o fim da temporada já começa a expectativa de draft, logo decidimos te lembrar de que além da dupla de Cowboys, Pro-Bowler e escolhas de primeira rodada, tivemos outros grandes jovens talentos.

Tight end: Hunter Henry, Los Angeles Chargers

O Tight End de segunda rodada e reserva de um dos melhores TE da liga o Antonio Gates, surpreendeu a todos ao assumir a responsabilidade de  ter substituir Gates no seu único jogo fora da temporada.  Desde então o garoto da universidade de Arkansas passou a dividir mais snaps com o grande TE e teve em média 13.3 jardas por recepção e 8 touchdowns. Ao todo foram 36 recepções e 478 jardas. Na época do draft comparavam Hunter Henry a Jason Witten, TE do Dallas Cowboys, pelo seu desempenho em parar linebackers, abrir espaço para jogo corrido e ainda ser um bom alvo. Diante desses números e fatos, é provável que ele cresça e se torne mais produtivo.

Defensive lineman: Chris Jones, Kansas City Chiefs

Assim como Tyreek Hill, Jones também foi uma supresa e das boas. Ele foi uma escolha muito criticada, na época, mas Jones superou expectativas. e junto com a defesa já consistente de Kansas City o menino conseguiu aprender e agregar valor pressionando bem os adversários. Foram 11 jogos como stater e 11 pressões e 2 sacks nos seus 16 jogos.

Linebacker: Deion Jones e  Safety: Keanu Neal, Atlanta Falcons

A defesa do Atlanta Falcons foi muito questionada durante a temporada, mas a jovem defesa cresceu muito ao longo dos jogos e nos playoffs jogou como veterano. Deion Jones tem agilidade e rapidez, ele esteve em 15 jogos, 13 como stater, e terminou a temporada com 108 tackles, 1 fumble forçado e 165 jardas de retorno sendo 2 desses foram para na endzone.

Keanu Neal foi bastante subestimado, considerado até overdrafted, mas ele conseguiu contribuir na campanha do campeão da NFC com 106 tackles e 5 fumbles forçados. Há quem agora compare o calouro com o Kam Chancellor, Safety do Seattle Seahawks e nome importante da legion of boom.

Center: Cody Whitehair, Chicago Bears

Center. Aquela posição que ninguém dá muito valor mas que alguém tem que fazer. Cody Whitehair foi o Center do Chicago Bears nos 16 jogos do time na temporada, sendo que na universidade ele era guard. Nessa temporada ele permitiu somente 1 sack. e dada a situação da linha ofensiva dos Bears, o time já tem um bom começo no fortalecimento dessa posição com um jogador versátil como ele, afinal, ele fez um ótimo trabalho abrindo rotas para o calouro estrela Jordan Howard.

Gravaram bem esses nomes? Acreditamos que ainda ouviremos falar muito deles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *